Unicamp enfrenta onda de furtos e sequestros

166
Prestes a completar dois meses sem cartões para controle de acesso nas seis portarias, que passaram a contar com câmeras incorporadas à Central Integrada de Monitoramento de Campinas (Cimcamp), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) encara o aumento do número de furtos de bicicletas e de objetos no interior de veículos dentro do campus, em Barão Geraldo. Em abril, foram registrados três sequestros-relâmpago e um furto de veículo, segundo a Polícia Civil.
Depois de ter uma funcionária vítima de sequestro-relâmpago durante a noite na semana retrasada, a direção do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) pediu à Prefeitura da Cidade Universitária maior vigilância no entorno no período das trocas de turno, e enviou um e-mail aos funcionários orientando-os a sempre seguirem acompanhados até seus veículos e, se preciso, acionarem um vigilante para isso. A assessoria de imprensa do Caism afirmou que, desde o pedido, a vigilância tornou-se mais presente e não houve registro de ocorrências criminais, porém, lembrou que ainda é cedo para a equipe ficar tranquila.
“De dois anos para cá aumentaram as queixas de furtos de bens de colegas”, contou o professor e médico José Carlos Torres, do Caism. Morador de Itu e usuário do estacionamento em frente ao Caism, o autônomo Gilson Carlos Martins, de 51 anos, não sai de perto do carro. “Dizem que é complicado, principalmente de noite. Estou vindo a cada três dias e quando venho fico ou dentro do carro, ou perto. Já teve vez que fiquei de 10 a 12 horas aqui. É bom se precaver”, comentou.
Nas vagas do Hospital de Clínicas também há cautela. “Muitas pessoas me alertaram a respeito da insegurança na frente do hospital, que tem muito assalto, mas não presenciei”, disse a aposentada Sonia Martins, de 58 anos, moradora de Sumaré que frequenta o HC desde outubro. “Acho que deveriam anotar número de placa e o carro”, sugeriu o aposentado Nelson Fiqueiredo Santana, de 64 anos, morador de Sumaré que usa semanalmente o estacionamento do HC há quatro anos.
Em busca de detalhes das ocorrências e o que tem sido feito, o Correio presenciou no 7º Distrito Policial, ontem à tarde, a detenção de um suspeito de furtar uma bicicleta que estava com cadeado no bicicletário próximo ao Restaurante Universitário no dia anterior. Morador de Barão Geraldo, no Jardim América, em liberdade condicional pelo crime de roubo e com uma máscara cirúrgica no rosto dizendo estar com tuberculose, o rapaz afirmou à polícia que pegou a bicicleta por engano e se prontificou a devolvê-la, levando os policiais até o local onde a guardava.
Neste caso, uma testemunha e o uso da mesma blusa no dia seguinte ao crime aju daram a vigilância do campus e a Polícia Militar, por meio do sistema de monitoramento, a deter o suspeito. Conforme a Polícia Civil, um dos autores do sequestro-relâmpago do Caism foi preso e admitiu ter participado de outros dois sequestros registrados.
Mapa
Questionada sobre os crimes que vêm ocorrendo no campus, a equipe de vigilância informou que é disponibilizado a todos no site da Unicamp um mapa de ocorrências registradas nos últimos 30 dias, no entanto não foi possível visualizar o mapa em diferentes navegadores e diferentes computadores.
Já o 8º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), responsável pela área, alegou que no período estão registrados no sistema de Informações Criminais (Infocrim) apenas um furto no interior de veículo e três furtos de bicicletas, ressaltando a necessidade de as vítimas registrarem boletim de ocorrência para que haja policiamento focado nos índices criminais.
Em nota, a Unicamp afirmou que desde dezembro de 2013 vem implementando o Programa Campus Tranquilo a partir de amplo debate com a comunidade interna para aumentar a segurança. Dentre as medidas implantadas, está o Botão de Pânico para acionar a vigilância através de aplicativo de celular desde outubro de 2015, três meses depois de concluída a substituição de 3,3 mil pontos de iluminação.
“A Unicamp também já disponibiliza um esquema de escolta sempre que requisitado, dentro do campus, para acompanhar as pessoas aos seus carros no estacionamento, principalmente no período noturno, todas devidamente registradas”, complementou. Lembrou ainda que as câmeras integradas ao Cimcamp permitem o controle e a gestão do acesso de veículos, sendo que um alarme é acionado caso haja alguma restrição, mobilizando a Guarda Municipal.

Fonte: Unicamp enfrenta onda de furtos e sequestros