Terceira paralisação em uma semana afeta ao menos 135 mil usuários

198
Pelo menos 135 mil usuários do transporte público de Campinas foram afetados ontem por uma nova paralisação das linhas verde e azul clara do sistema, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas e região. No total, 555 coletivos não saíram da garagem por conta do atraso no pagamento dos motoristas. No fim da tarde, apenas o serviço das linhas azuis tinha sido retomado.
A Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) informou que manteve fechados desde a manhã até o final da tarde, por medida segurança, os terminais Ouro Verde, Vida Nova, Vila União e Barão Geraldo. Linhas não envolvidas no protesto atendiam ao lado destes pontos de parada. Segundo o sindicato, os cerca de 1,8 mil funcionários que atuam nas duas linhas ficaram parados.
Segundo a Transurc (Associação das Empresas de Transporte Urbano de Campinas), os trabalhadores rejeitaram a proposta da empresa de acertar, ontem, metade do que está atrasado e finalizar o pagamento em parcelas diárias até sábado. Com a negativa, a empresa fez a opção de pagar integralmente os funcionários das linhas azuis claras, que percorrem o Ouro Verde, Vida Nova e Vila União.
Até o fechamento desta edição, funcionários das linhas verdes, que abrangem região central, Barão Geraldo e Campo dos Amarais, ainda não haviam entrado em acordo com a empresa para encerrar a paralisação.
A Transurc alega que as contas do sistema do transporte público está em desequilíbrio desde 2013, quando houve redução de R$ 0,20 no preço da tarifa após protestos. De lá para cá, porém, o prefeito Jonas Donizette (PSB) já aumentou a tarifa três vezes, elevando de R$ 3 até R$ 3,80.
A associação diz, ainda, que a queda de 8% no número de usuários do transporte afetou a arrecadação e que, com o atual valor de tarifa e do subsídio do transporte, as empresas têm um desequilíbrio de R$ 22 milhões. O preço da tarifa teria que ser de R$ 4,50 para equilibrar as contas das empresas, alega a Transurc.
No ano passado, a prefeitura aumentou de R$ 1 milhão para R$ 5 milhões o subsídio mensal para as empresas de transporte.
INDAIATUBA
Quatro linhas intermunicipais, também administradas pela VB, ficaram paradas do início da manhã de ontem até 16h40. Segundo a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), que fiscaliza o sistema intermunicipal, três delas ligam Campinas a Indaiatuba e a outra, Indaiatuba a Vinhedo.
O sindicato informou que o motivo também foi o atraso nos pagamentos. A concessionária quitou os salários dos cerca de 50 funcionários às 16h30, quando o serviço foi restabelecido. Segundo a EMTU, cerca de 4,5 mil usuários foram prejudicados e a concessionária será autuada por não cumprir as partidas programadas.

Fonte: Jornal TodoDia