Sem rádio, guardas deixam de fazer ronda em Campinas

0
223
Viaturas da Guarda paradas em base por falta de rádios de comunicação
As bases da GCM (Guarda Civil Municipal) das regiões do São Vicente e Barão Geraldo, em Campinas, estão desde sexta-feira sem comunicação com as viaturas, o que fez com que agentes interrompessem as patrulhas. O comandante da corporação, Edson Rizzo, minimizou o problema e disse que os guardas “que não gostam de trabalhar” estão aproveitando a situação.
Na sexta-feira, uma falha no sistema de rádio fez com que a prefeitura adiantasse a troca dos equipamentos, que estava prevista para esta semana. Isso fez com que os guardas interrompessem o patrulhamento e voltassem para as bases. Segundo a prefeitura, o sistema ficou sem comunicação apenas por meia hora.
A prefeitura informou que a troca será feita até amanhã, incluindo os HTs (rádios portáteis). A empresa responsável pelo novo sistema é a TRS Telecom. Embora a prefeitura afirme que o trabalho da Guarda não foi prejudicado, guardas disseram à reportagem que o patrulhamento está paralisado desde sexta-feira.
Segundo agentes, na base da região do São Vicente, do 5º DP (Distrito Policial), sul do município, os guardas não estavam atendendo a nenhuma ocorrência na área periférica. “Não está saindo ninguém no patrulhamento porque a comunicação é ineficiente. Só atendemos ocorrência se não for na área periférica. Nunca se sabe o que pode acontecer em uma situação dessa, sem comunicação”, disse um guarda, ontem à noite. Ele pediu para não ser identificado.
A mesma situação ocorria na base 3 da região de Barão Geraldo, do 7º DP. “A patrulha está parada desde sexta. Sabemos que talvez regularize tudo até quarta, mas não fomos notificados oficialmente”, disse um guarda, que também pediu para não ser identificado.
O comandante da Guarda admitiu falhas na comunicação, mas disse que existem guardas se aproveitando da situação.
“Estamos resolvendo os problemas durante essa transição. Se o guarda não se sentir seguro para sair, ele não sai. Tem esses caras que não gostam de trabalhar e aproveitam a oportunidade, mas não vou obrigar ninguém a sair”, disse.
O secretário de Segurança, Luis Augusto Baggio, negou que o patrulhamento estivesse paralisado.
“Desconheço isso. Uma ou duas viaturas no máximo não devem estar saindo nessas regiões, pois são locais que o sinal já não funcionava direito. Isso não é segredo para ninguém e esperamos resolver esse problema com o novo sistema. Não houve prejuízo nas atividades que a Guarda faz regularmente”, afirmou Baggio.
O diretor da área da Guarda do STMC (Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Campinas), Lourivam Valeriano, disse que estava acompanhando a situação.
“Como vai trabalhar sem rádio? Já recebemos relatos dessas áreas onde não está havendo patrulhamento e a situação é preocupante. Esperamos que tudo seja restabelecido até quarta-feira”, afirmou.

Fonte: Jornal TodoDia