Interdição da ponte que liga Barão Geraldo a Paulínia causa transtornos

522

Motoristas encontram dificuldade no acesso; moradores convivem com caos. Interdição foi feita há mais de 2 anos, por conta de problemas na estrutura.

Interditada desde novembro de 2014, a ponte que liga o Distrito de Barão Geraldo, Campinas (SP), a Paulínia (SP) causa transtornos entre os moradores das duas cidades. O pequeno vão aberto em um dos cantos possibilita apenas a passagem de motociclistas. [Veja imagens na reportagem acima].

Para chegar a Paulínia, os motoristas precisam pegar a avenida Alexandre Cazellato, passar pelo Distrito de Betel, e depois pela Rodovia Zeferino Vaz (SP-332), o que deixa o trajeto ainda maior. “Pra vir de carro tem que sair por dentro, fazer um caminho que é normalmente 10 km a mais, então é mais gasto ainda”, conta o técnico químico Luís Ricardo.

Sem a estrutura de ligação, moradores do distrito passaram a conviver com o caos do trânsito local, inclusive com o tráfego pesado de camihões em áreas residenciais. “Em horários de pico, até o trânsito para entrar dentro da minha casa é bastante complicado […] sobem de 15 a 20 ônibus fretados […] então eu tenho que esperar um pouquinho pra poder passar e pra poder sair da minha garagem”, lamenta a gerente de negócios Muriel Costa.

O cruzamento entre as avenidas Alexandre Cazellato e Professor Benedito Montenegro, em Betel, também ficou prejudicado pelo alto fluxo de veículos. Sem sinalização adequada, os motoristas se arriscam para atravessar e ainda prejudicam a travessia dos pedestres.

“Não tem semáforo, não tem uma rotatória, então a gente assim, conta com a sorte pra atravessar aquele cruzamento com as crianças […] já presenciamos acidentes ali”, afirma a economista Claudia Aparecida Salvuchi.

A interdição foi feita em 25 de novembro de 2014, por técnicos da Prefeitura de Campinas e agentes da Defesa Civil que apontaram problemas estruturais na ponte. Para realização da obra para uma nova ponte, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) afirma que é necessário um estudo ambiental e um licenciamento protocolado pela Prefeitura de Paulínia, além de um convênio com a cidade de Campinas, já que a ponte fica no limite entre os dois municípios.

O que diz Paulínia
A Secretaria de Obras de Paulínia informou que o projeto de recuperação da ponte está em fase de conclusão, mas é necessária a licença da Cetesb. A pasta disse acreditar que o problema seja solucionado até o fim de 2017, mas que será necessário um convênio com a Prefeitura de Campinas.

O que diz Campinas
A Prefeitura de Campinas destacou tentar com a cidade vizinha a solução para o problema desde a interdição, mas que está aberta para diálogo sobre a situação.

Fonte: G1 – Interdição da ponte que liga Barão Geraldo a Paulínia causa transtornos – notícias em Campinas e Região