Estradas da região são monitoradas por 24h

267

De acordo com a Artesp, os equipamentos são úteis para auxiliar na prestação de atendimento aos usuários

Matheus Pereira/AAN

De acordo com a Artesp, os equipamentos são úteis para auxiliar na prestação de atendimento aos usuários

Os dez trechos de rodovias concedidas pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) que atendem a região de Campinas são monitorados atualmente por 49 câmeras, que funcionam 24 horas por dia. No Estado, são 1.770 câmeras instaladas em pontos estratégicos para a cobertura dos 11,2 mil quilômetros de estradas concedidas – um equipamento a cada 6,4 quilômetros.
Os aparelhos visam garantir a segurança dos motoristas e fiscalizar o tráfego e as ocorrências. As informações são transmitidas, praticamente em tempo real, para o centro de controle operações das concessionárias e compartilhadas com o Centro de Controle de Informações da agência reguladora.
Segundo o último balanço da Artesp, na região de Campinas os equipamentos estão distribuídos da seguinte maneira: dez na Anhanguera (SP-330) do km 86 ao km 106, em Campinas; nove na Dom Pedro I (SP-065) do km 125 ao km 145+500, entre Campinas e Valinhos; oito na José Roberto Magalhães Teixeira (SP – 083) do km 0 ao km 18, também entre Campinas e Valinhos; oito na Bandeirantes (SP-348) do km 79 ao km 103, entre Limeira e São Paulo; cinco na Santos Dumont (SP-075) do km 62 ao km 77+600, entre Campinas e Salto; quatro na Professor Zeferino Vaz (SP-332), sendo duas do km 110 + 280 ao Km 119, entre Campinas e Paulínia, e duas no acesso ao distrito de Barão Geraldo, em Campinas; três na Governador Dr. Adhemar Pereira de Barros (SP-340) do km 114 ao km 123, entre Campinas e o pedágio de Jaguariúna; há uma no km 0 + 582 da Adalberto Panzan (SPI – 102/330), em Campinas; e uma no km 0 + 480 da Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101), em Hortolândia.
De acordo com a Artesp, as câmeras são úteis, principalmente, para auxiliar na prestação de atendimento aos usuários em situações de emergência mecânica para o veículo ou que necessitam de socorro médico, em caso de acidentes. A partir dos estudos de segurança viária, os equipamentos estão instalados em locais com maior volume de tráfego de veículos, com potencial para congestionamentos, além de pontos críticos com incidência de acidentes.
Segundo levantamento da Artesp, até outubro de 2020, foram registradas pouco mais de 39 mil ocorrências dos mais diferentes tipos por meio dos sistemas de monitoramento das 20 concessionárias, responsáveis pela administração das rodovias em São Paulo.
Diretor-geral da agência, Milton Persoli explica que “os sistemas de monitoramentos são olhos atentos que podem detectar uma ocorrência, antes mesmo de qualquer contato do usuário com a concessionária. Essa tecnologia possibilita à administradora tomar decisões imediatas e necessárias que podem fazer a diferença, especialmente em casos que envolvem a segurança do usuário.”
Corredor
A concessionária Rota das Bandeiras conta com 91 câmeras de monitoramento, distribuídas ao longo dos 297 km de cinco rodovias que compõem o Corredor Dom Pedro. O Corredor Dom Pedro faz a ligação entre a Região Metropolitana de Campinas (RMC) e o Vale do Paraíba. As cinco rodovias passam por trechos de 17 municípios e auxiliam na escoação da produção regional. Diariamente, circulam pelas vias 450 mil motoristas. As câmeras possuem rotação de 360 graus e zoom que permite visualização de ocorrências a até quatro quilômetros de distância. Além disso, os equipamentos possuem limpadores automáticos, que garantem visibilidade mesmo com o tempo chuvoso.

Origem: Correio Popular