Dengue: Campinas teve um óbito e 3.943 casos em 2020

362

Segundo dados da Prefeitura de Campinas, as regiões noroeste e sudoeste foram as que mais registraram casos da doença em 2020

Eliminar o criadouro da dengue é a forma mais eficaz de combater o vetor da doença, o mosquito Aedes aegypti (Foto: Fernanda Sunega/PMC)

 

Campinas teve um óbito e 3.943 casos de dengue em 2020, conforme informou a Secretaria de Saúde nessa sexta-feira (8). As regiões noroeste e sudoeste foram as que mais registraram casos da doença.

Os dados são de 1º de janeiro e 31 de dezembro do ao passado. A vítima, um homem de 73 anos, morreu em 14 de abril em decorrência de complicações da dengue. Ele era hipertenso e diabético e teria tido início de sintomas em 31 março, sendo atendido em hospital municipal de Jaguariúna por escolha da família em 4 de abril. Leia mais detalhes clicando neste link.

Em 2019, a cidade registrou o total de 26.310 casos confirmados de dengue e cinco mortes provocadas pela doença – 22.367 casos e quatro óbitos a mais que 2020. Este número de infectados pelo vírus fez com que o município registrasse a terceira maior epidemia da história em 2019.  

A pior epidemia de dengue registrada em Campinas aconteceu em 2015, quando 65.634 foram infectadas e 15 morreram. A segunda pior foi no ano anterior, em 2014, com 42.109 pessoas infectadas e dez óbitos causados pelo mosquito da dengue.

REGIÕES

Ainda segundo o boletim epidemiológico, as regiões noroeste (que inclue os bairros Cidade Satélite Íris e Jardim Florence) e sudoeste (Novo Campos Eliseos, Jardim Santa Lúcia e outros) são as que mais acumulam casos na cidade, com 1.083 e 1.065 ocorrências, respectivamente.

Na sequência estão a região norte (Guanabara, Distrito de Barão Geraldo, e outros), com 953; a Leste (Jardim Miriam, Distrito de Sousas e outros), com 504; e a Sul (Cidade Jardim, Jardim Esmeraldina e outros), com 338 confirmações.

TODOS CONTRA A DENGUE

A equipe da Prefeitura envolvida no combate à doença destaca que a luta contra a dengue exige uma contrapartida de toda a sociedade. A Prefeitura mantém um programa de controle e prevenção da doença por meio do Comitê de Prevenção e Controle das Arboviroses, mas cada cidadão precisa fazer a sua parte, destinando corretamente os resíduos e evitando criadouros. Segundo o Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), 80% dos criadouros estão dentro das casas.

Para acabar com a proliferação do mosquito é preciso evitar acúmulo de água e remover latas, pneus e outros objetos. Os vasos de plantas devem ter a água trocada a cada dois dias. É importante, também, vedar a caixa dágua. Os vasos sanitários que não estão sendo usados devem ficar fechados. Saiba mais detalhes de como prevenir o mosquito da dengue clicando aqui.

Origem: Dengue: Campinas teve um óbito e 3.943 casos em 2020 – cotidiano – ACidade ON Campinas