Chuva coloca 3 cidades da região de Campinas em estado de atenção

331

Defesa Civil monitora áreas de risco de deslizamento e alagamentos.Em Campinas, Prefeitura admite necessidade de remover 300 árvores.

Três cidades da região de Campinas (SP) entraram em estado de atenção nesta quarta-feira (1º) por conta do volume acumulado de chuva nas últimas 72 horas. Equipes da Defesa Civil monitoram áreas de maior risco de deslizamento de terra ou alagamentos em Amparo, Campinas e Valinhos.

De acordo com Sidnei Furtado, coordenador da Defesa Civil, a chuva que atinge Campinas nesta tarde tem menor intensidade que a dos últimos dias.

Cidade Volume em 72h
Amparo 80,2mm
Campinas 112mm
Valinhos 96,5mm
Fonte: Defesa Civil

Segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Unicamp, na terça foram registrados 32,3mm de chuva num período de duas horas em Campinas. Na segunda-feira (30), a Defesa Civil registrou 64mm no município, quantia esperada para 10 dias.

Em Campinas, há preocupação com o número de árvores que apresentam doenças ou são impróprias para a área urbana. De acordo com a Secretaria de Serviços Públicos, 300 espécies devem ser removidas até meados de março.

“Foram feitos laudos técnicos e há recomendação para supressão desta quantidade por três razões. Algumas apresentam fitopatologias e estão sujeitas à queda, há casos de árvores que já morreram por causa do fungo ganoderma, que não permite a circulação da seiva para copa da árvore, isso ocorre no prazo de 24 horas… E árvores inadequadas para áreas urbanizadas como figueiras e flamboyants, que quebram calçadas e muros”, explica Ernesto Paulella.

O secretário defendeu que a administração tem realizado média de 100 a 120 remoções por mês, incluindo imediata replantio de outras espécies. Segundo ele, a maior parte das árvores que devem ser retiradas do município estão concentradas na região norte. “É uma região mais antiga, onde estão bairros como Castelo, Chapadão, Guanabara e Taquaral”, diz o secretário.

De acordo com Paulella, nenhuma das 47 árvores que caíram na semana passada tinham problemas. As causas, defende, foram saturação do solo e vento que chegou a 64,6 km/h no distrito de Barão Geraldo, segundo medição realizada pelo Cepagri.

Valinhos
Em Valinhos, o cenário nesta quarta-feira era de destruição após o temporal do dia anterior. Segundo dados da Defesa Civil do município, choveu 75mm na terça-feira (31), o mesmo volume esperado para 10 dias.

A cidade acumulou 357mm em janeiro, número 47% maior que a média histórica para o mês, que é de 242,7mm. Uma família desalojada por conta da chuva foi abrigada na casa de parentes.

De acordo com a Prefeitura, os moradores receberam móveis e roupas pessoais e de cama, além de cesta básica.

Rastro de destruição nas ruas de Valinhos após temporal de terça-feira (Foto: Edvaldo de Souza/EPTV)Rastro de destruição nas ruas de Valinhos após temporal de terça-feira (Foto: Edvaldo de Souza/EPTV)

Fonte: G1 – Chuva coloca 3 cidades da região de Campinas em estado de atenção – notícias em Campinas e Região