Cervejaria Artesanal em Barão Geraldo

0
275
Samuel Mendonça de Faria enche copo com cerveja fabricada pela Landel em Barão

Leandro Ferreira/AAN

Samuel Mendonça de Faria enche copo com cerveja fabricada pela Landel em Barão

Há muita coisa em comum entre o ambiente das cervejas artesanais e o mundo dos vinhos. O carinho de um cervejeiro com sua IPA, por exemplo, comove tanto quanto o amor de um enólogo por seu Merlot preferido. Os tanques de produção de uma pequena cervejaria lembram as instalações de uma vinícola. O vocabulário usado pelas duas tribos tem muitos termos em comum, e as técnicas de produção estão cada vez mais modernas, o que permite a evolução dos dois produtos de forma geral.
Especialistas e apreciadores mais acostumados com as duas bebidas também conseguem identificar características marcantes em cada uma delas, e podem fazer isso sem titubear se migrarem de área. Um expert em vinhos vai achar aromas cítricos e de frutas vermelhas, sabores que remetem a tabaco, chocolate, e especiarias em uma boa cerveja. E vice-versa.
Mas, acima de tudo, cervejeiros e tomadores de vinho concordam com outra coisa: a paixão por apreciar uma boa bebida ao lado de pessoas queridas e acompanhada de boa gastronomia. Bons momentos pedem copos cheios, seja de vinho ou de cerveja.
Não é à toa que os dois mercados estejam em expansão e com muito coisa a conquistar. A aposta do mundo cervejeiro é nas produções artesanais, que se espalharam por bares e prateleiras de supermercados.
Mas ainda há desafios a serem superados pela cerveja artesanal. Um deles é o preço, inevitavelmente mais alto que as marcas tradicionais – e que ainda vai continuar assim, pelo menos por um tempo. A tributação é implacável. O outro, que começa a mudar, é o trabalho para conquistar o paladar do brasileiro acostumado a beber a “pilsen” tradicional.
“Não adianta você fazer uma cerveja forte, amarga e alcoólica, porque o brasileiro está acostumado com um tipo diferente”, diz Samuel Mendonça de Faria, sócio da cervejaria Landel, uma das três “pequenas gigantes” que operam hoje em Campinas.
“Nossa cerveja foi pensada para agradar o consumidor que está fazendo a transição para as artesanais. Não vai chocar o paladar”, disse. “A proposta é uma bebida leve, com personalidade, que siga estilos consagrados, mas dentro de uma realidade próxima do brasileiro.”
Ao analisar o mercado, a diferença entre o tamanho das empresas por aqui mostra o quanto ele não se preocupa com proporcionalidade. Ao todo, 99% dos mais de 13,5 bilhões de litros feitos no País por ano saem de apenas quatro torneiras: Ambev, Brasil Kirin, Petrópolis e Heineken. O que sobra, cerca de 1%, é dividido entre 450 micro e pequenas que se dedicam à produção artesanal. Muitas delas em fundos de quintal, mas algumas já com boas estruturas de produção. Nos EUA, as artesanais são 15%.
A Landel é uma cervejaria “cigana”, que produz aproveitando tempos ociosos de outras fábricas. Além disso, arrendou a estrutura da antiga Cervejaria Universitária, em Barão Geraldo, onde mantém produção própria.
A estrela da produção é uma Session IPA, sua primeira receita. Ela pode ser encontrada em garrafas de 600 ml (R$ 16,00 na caixa com seis), que acabam de ser lançadas, ou vendida por litro (RS 11,00), na fábrica. Aliás, a prática da venda por litro é uma ideia que foi trazida dos Estados Unidos, onde é muito comum, e que tem ganhado adeptos por aqui.
O manual do bom tomador de cerveja recomenda, para isso, o uso de um vasilhame chamado growler, que pode ser de vidro, cerâmica ou plástico. É possível comprá-los na fábrica (o de vidro custa R$ 60,00 já com dois litros de cerveja). Depois de fechado, ela suporta bem por alguns dias se mantida sob refrigeração, mas deve ser consumido após aberta.
Criada em 2013, a Landel tem três sócios: além de Samuel, Bruno Cardoso e Marcelo Crosta, que se conheceram em eventos e cursos e decidiram abandonar as carreiras para se dedicar à cerveja. A produção inclui os estilos Session Tripel e Mandarina Lager, mas a empresa ainda faz tipos sazonais. Para quem quer saber mais sobre isso tudo, vale a visita.
Salute!
FICHA TÉCNICA
Session Ipa Landel
Session IPA Landel
Estilo: Session American IPA
Álcool: 4,8%
Temperatura de serviço: 3º C
Harmonização: Carnes mais gordurosas, carameladas pelo fogo, como churrasco e tulipa de frango.
Descrição: Coloração avermelhada. Marcada pelo amargor e notas cítricas dos lúpulos americanos, que lembram maracujá e capim cidreira. Refrescante, com corpo mais leve que as IPA’s comuns da Inglaterra e EUA.
Preço: R$ 19,90 (garrafa/unidade) ou R$ 16,00 (caixa com seis), ou R$ 11,00 por litro.
Landel: Endereço: Avenida Albino José Barbosa de Oliveira, 1250 – Barão Geraldo, Campinas. Telefone: (19) 3295-0702.

Fonte: Correio Popular