Casos de raiva em morcegos em Campinas superam os do ano passado e preocupam autoridades

82

Agentes sanitários iniciaram campanhas de prevenção nas regiões mais afetadas da cidade.

Agentes de saúde estão dando instruções de casa em casa (Foto: Reprodução/EPTV)

O aumento dos casos de raiva em morcegos em Campinas (SP) tá preocupando as autoridades. Foram 16 casos confirmados até este mês de agosto, contra seis no ano passado inteiro. A maioria está concentrada em duas regiões da cidade, Barão Geraldo e Parque Santa Bárbara. A Vigilância em saúde está fazendo ações nesta semana nesses lugares.

Em Campinas são recolhidos cerca de 500 morcegos por ano, sendo que em média dois estão com raiva. Esse índice é considerado normal, mas agora a média está muito acima do aceitável.

A veterinária Tosca De Lucca, da Unidade de Vigilância em Zoonoses, alerta para que ninguém toque em morcegos, principalmente se estiverem voando durante o dia, em locais incomuns ou caídos no chão. Caso moradores encontrem um morcego nessa situação, devem notificar as unidades de saúde do bairro, que recolhem os animais.

“O que mais nos preocupa são as áreas onde não há notificações, que chamamos de silenciosas, pois as pessoas ficam menos alertas e não avisam as autoridades”, diz.

Ela também diz que muitas pessoas estão deixando de vacinar cães e gatos, porque acham que a raiva não atinge mais esses animais.

A campanha de vacinação contra a raiva em Campinas será dividida por regiões. Começa no dia 23 de setembro e termina dia primeiro de outubro. Devem ser vacinados animais a partir dos três meses de idade.

Hortolândia (SP) também está com campanha de vacinação, pois em março foi identificado um morcego frugívero, que se alimenta de frutas, com o vírus da raiva. Para fazer a imunização os donos devem levar os animais de estimação à unidade de Vigilância em Zoonoses da cidade até o final de setembro

Fonte: Casos de raiva em morcegos em Campinas superam os do ano passado e preocupam autoridades | Campinas e Região | G1